Mateus já vendeu R$ 18,3 milhões em cestas básicas para o governo do MA durante a pandemia

Se já não bastasse o benefício fiscal em cima do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no qual é cobrado de forma diferenciada para o Grupo Mateus, o governo do Maranhão parece te preferência na hora de adquirir cestas básicas a serem distribuídas à população durante a pandemia.

Um levantamento da Folha do Maranhão mostra que, desde o início da pandemia, em março de 2020, o grupo Mateus vendeu R$ 18.315.230,50 em cestas básicas para o governo do Maranhão.

Em apenas 9 contratos, o governo escolheu de forma direta, sem licitação, a empresa que mais fatura dentro do Maranhão, ignorando a presença de grandes redes de supermercados em São Luís, como: Supermercado Assaí e Mineirão Atacarejo, que encerrou suas atividades no último dia 30 de julho, devido a política tributária do Maranhão.

Em seu último contrato, no valor R$ 7.348.500,00, fechado diretamente com a Secretaria de Estado de Governo, Mateus irá fornecer 150 mil cestas básicas ao valor de R$ 48,99 cada uma. Porém, segundo investigou a Folha do Maranhão, durante o processo de contratação, apenas a proposta do supermercado Mateus aparece no processo licitatório, as demais consultas de preços aparecem de formas individuais, utilizando-se de licitações de outras localidades, ou seja, item por item no qual compõe a cesta básica.

Em todos os outros contratos, o governo do Maranhão utiliza da mesma forma para contratar o Grupo Mateus para fornecer suas cestas básicas. A Folha do Maranhão consultou outros processos licitatórios no qual o Grupo Mateus foi escolhido, porém não consta outra proposta de outras empresas, a exemplo do Supermercado Assaí, presente no Maranhão há mais de 1 ano.

Fonte: Folha do Maranhão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *