Fabio Câmara detona com o ex-governador Flávio Dino

Há três anos desde que eu desafiei Flávio Dino, após este sair de um debate na campanha de sua reeleição, para tomarmos um banho na Lagoa da Jansen, está declarada por ele mesmo, no referido evento, como tendo sido saneada pelo seu “governo”. Flávio Dino recusou o convite de pronto.

E o fez não por conta de saber e assumir que acabara de contar uma “deslavada mentira” e sim em razão de que o seu ID se sobrepõe costumeiramente ao seu SUPEREGO, tornando-o um homem de EGO tão comprometido quanto inflado!

Para pessoas que carregam e alimentam esse tipo de distúrbio, o erro, a falta, o problema, será sempre apontado com todos os dedos das duas mãos, porque para esse tipo, só os outros têm as culpas, isso faz com que sejam (os outros) menores e mereçam o castigo ou a depreciação. Após ser convidado por mim para um banho na Lagoa da Jansen, Flávio Dino dispara: “- Vá lá! Eu imagino que tu devas estar sem ter o que fazer!”

“- Domingo EU TENHO QUE GANHAR uma eleição!” Na cabeça de FD, eu sou só um DESOCUPADO e nunca um agente público ou mesmo um cidadão que confronta a sua mentira na busca pela verdade. E o que salta da boca de FD são dois retratos deturpados: Fábio Câmara perda de tempo; Flávio Dino tempo de ganhos. E o ato de falsear a verdade notabiliza ID e EGO em detrimento de um superego, quase sempre, desconsiderado, relegado a um plano bem inferior!

Sigmund Freud, um dos principais nomes da psicanálise mundial, usou os conceitos de id, ego e superego para explicar a personalidade dos indivíduos.

Segundo ele, o id seria nossa parcela mais instintiva, que privilegia desejos, vontades, ímpetos, sem conhecer freios morais e éticos. 

Já o superego, seria um oposto. Sua característica é, precisamente, impor limites de regras e condutas, consideradas adequadas frente à cultura e boa convivência.

O ego, por sua vez, surgiria como um “meio do caminho” entre essas duas faces. Um mediador que escuta a natureza quase animalesca do id, ponderando-as em conformidade às repreensões do superego.

Em outras palavras, o ego seria o “eu” que ouve tanto as vozes imperativas — famintas pela autossatisfação, doa a quem doer — quanto os conselhos de um vigia muito rígido, buscando um equilíbrio, um entendimento, entre as partes.

É claro que essa disputa nem sempre acaba em empate. Dependendo da situação, o eu pode pender para um ou outro impulso.

DITADORES declaram guerras, perseguem e matam inimigos que suas mentes e propósitos fabricam. Não porque não deitaram em um divã! Não! Pessoas de ID imperativo e com EGO deturpado causam mal aos outros porque só elas são merecedoras do bem! Flávio deputado federal era 1 no meio de 513 outros. Flávio tornou-se PRESIDENTE DA EMBRATUR! Dino governador do Maranhão e o foco permanente sempre foi ser PRESIDENTE DO BRASIL! FD, se eleito senador, já mira ser MINISTRO de Lula! Isso porque, figurar entre 81 no senado, segue sendo pequeno para quem vê no espelho, todos os dias, aluém GRANDE DEMAIS! E se em tudo isso ainda desconsiderarmos a teoria freudiana, estaremos afirmando a negação de nós mesmos, passando por alto uma excelente oportunidade de dar a Flávio Dino uma grande DERROTA ELEITORAL como FATO TERAPÊUTICO.

Flávio sem o senado!

Dino sem o governo!

E a abstinência de poder como DOZE ou DOSE PROS LEÕES!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.